Meu pé de jabuticaba

15 de setembro de 2011

- Morango, banana e tangerina...e você?
- Jabuticaba.
- Jabuticaba?
- Sem dúvida, jabuticaba.
- Nossa, acho que comi jabuticaba duas vezes na vida...e nem achei lá aquelas coisas.
- É a melhor fruta do mundo, seguida de perto pela pinha.
- Pinha? Pinha do pinhão? Nem sabia que era fruta.
- Não, pinha pinha. Aquela verde por fora e branca melequenta por dentro.
- Fruta do conde?
- É, essa aí, é que na minha terra chamava pinha.
- Essa sua terra deve ser bem estranha mesmo.
- Por que você diz isso?
- Uma terra onde as frutas preferidas das pessoas são jabuticaba e fruta do conde.
- Pinha.
- É, você entendeu.
- Não sei se todas as pessoas da minha terra gostam mais dessas frutas. Eu, sem dúvida, adoro.
- Mas eu moro contigo e nunca te vi comprar jabuticaba.
- Jabuticaba não se compra, se colhe da árvore da avó. Ainda mais quando cobram seis reais por um potinho de nescau de jabuticabas.
- É uma fruta estranha, os caras metem a faca mesmo.
- Não tem nada de estranho em jabuticabas. Estranho pra mim é cobrar seis reais num potinho de nescau.
- Jabuticaba é pequenininha. Um pote de nescau é bastante coisa, menina.
- Bastante? Ah, para! Bastante era o que a gente colhia quando era criança.
- "A gente" quem?
- Eu e meus primos.
- Ah, seus 30 primos?
- 15. Isso mesmo. Eram baldes e baldes de jabuticaba. Pretinha, gorda, doce.
- O que tem de tão especial?
- Já viu um pé de jabuticaba?
- Ah, talvez, sei lá. Se vi não dei bola.
- Meu vô plantou um pé muito antes de eu nascer. O sonho dele era ter um pé de jabuticaba redondo.
- Redondo?
- É, com a copa redonda.
- Por que?
- Sei lá, ele achava bonito, acho. Desde que me conheço por gente brinco naquela jabuticabeira redonda. A gente ia pra casa da minha vó uma vez a cada dois meses, mais ou menos. Cada vez que chegávamos lá, a jabuticabeira tava de um jeito. Gostava quando ela tava pelada, porque era quando a gente podia se dependurar e brincar lá em cima. Detestava quando ela tava cheia de flor, porque as tias não deixavam ninguém subir. E, óbvio, amava quando as flores viravam jabuticabas gordas e pretas e doces. Era uma festa. Todos os quinze primos subiam na árvore e passavam o dia colhendo jabuticabas, aí alguma tia lavava tudo e colocava numa bacia no meio da mesa. Bacia. Sabe o que isso significa? Uma bacia daquelas de dar banho em criança. Quilos de jabuticaba. Todo mundo comia até ficar entupido.
- E não enjoava?
- Nada.
- E não ficava com o intestino preso?
- Claro que ficava.
- E você gostava? Agora que vocês não são mais crianças, continuam fazendo isso?
- Se fosse só por mim e pelos meus primos, a história ainda seria a mesma. Mas faz quase dez anos que meu avô faleceu, minha avó tá doente, ninguém mais cuidou da árvore. Ela ainda tá lá, ainda é linda, mas não fica mais cheia de frutas como antes. O mais engraçado é que, pensando agora, a imagem mais forte na minha cabeça é a da jabuticabeira florida. Branquinha de tantas flores. Justo a imagem que eu detestava hoje acabou virando um símbolo de uma época linda.
- Nossa, me deu até vontade de conhecer essa árvore.
- Já tive vontade de plantar uma que ficasse com a copa redonda.
- Por que não planta?
- Em São Paulo?
- É...complicado.
- Não tem como, fisicamente não, mas já plantei no meu peito. E dentro de mim ela é redonda e está sempre carregadinha, de frutas e crianças.


8 pitacos:

Leo disse...

Meu avô também tinha uma que a copa era Redonda. Bons tempos!

Yáci disse...

Ai que saudade do interior, da minha infância, dos pés de jabuticaba da Vila Ventura e dos meus 15 e tantos primos tb...

Natalia Máximo disse...

Eu ODEIO jabuticaba, mas acho que vou rever esse conceito depois de ler um texto tão lindo (:

Iuri disse...

Os primos e as lembranças não posso providenciar, mas está convidada para apanhar muitas jaboticabas lá em casa! Esse ano promete, elas estão carregadas de flores! :)

Anônimo disse...

adooorooooo jabuticaba...vou ali plantar uma árvore no quintal e ja venho. ta? hahahahhahaha
Lindo texto Ma..


Nani

Camila disse...

Adoro jabuticaba! Na cidade onde eu nasci há muitos pés que ficam carregadíssimos todo ano. Uma pena que não volte lá com frequência. =(

Outono disse...

Adoro jabuticaba, mas no meu caso era o pé de pitanga que era a razão da euforia infanto-juvenil da casa de meu avô.

Lindamente escrito.
Se puder visite meu blog também, seria uma honra.
http://irmandadealfatal.blogspot.com

Rocio disse...

Que árvores bonitos, espero algum tempo para tê-los por perto, mesmo para comer desses frutos pode ser capaz de obter um delivery de frutas.