Sem pausas

21 de fevereiro de 2013

Correu como se nada mais houvesse e nada mais importasse Quase foi atropelada na correria por um carro e depois por uma moto mas nada aconteceu Nada aconteceria A cada passo sentia o coração batendo mais forte mais rápido Tinha ganhado um beijo Um beijo de verdade molhado na boca daqueles que deixam a perna bamba e a vida bamba atrás das pernas Ainda no caminho tirou a chave da bolsa e a segurou na posição certa para abrir a porta e entrar correndo e quando chegou finalmente entrou pegou o caderno dentro do armário procurou uma caneta abriu o caderno respirou e
Sorriu
Suspirou
Deixou que uma lágrima de felicidade escorresse
E rindo pôs pra fora o que lhe escorria pelos poros e enfeitou seu caderno com as mais belas palavras da língua e quando não encontrava palavras suficientes inventava adjetivos novesíssimos e lindonérrimos Deixava que a caneta dançasse já que as pernas se recusavam a parar de tremer e escreveu até que o pulso doesse e o sono batesse e o coração se acalmasse e todo o corpo ficasse
finalmente
em paz

Tensão

4 de fevereiro de 2013

Entrou no quarto e viu a namorada de frente pro espelho, apertando as gordurinhas da barriga. Tentou sair sem ser notado, mas era tarde demais.
- Mor.
- ... Ah, oi, linda.
- Você acha que eu tô gorda?
- Imagina, claro que não.
- Mas dei uma engordada.
- Deu nada, tá magrinha.
- Engordei dois quilos.
- Sério? Nem dá pra notar.
- Você não repara em mim!
- Ih, lá vem você com isso outra vez! É claro que reparo em você.
- Repara e não notou que engordei?
- Notei, mas fiquei com medo de te magoar, aí não falei nada.
- Ah, agora além de me achar gorda você também mente pra mim?
- Ah, pronto!
- Fique sabendo que você também não tá lá aquelas coisas.
- Como assim?
- Tá gordo.
- Eu não engordei nada desde que a gente se conheceu.
- Tá acabado, olha essas olheiras!
- Você mesma sempre disse que eram olhos de ressaca, tipo os da Capitu.
- Só se for de ressaca de cerveja.
- Ei, o que aconteceu com você?
- Nada, por que as coisas sempre têm que acontecer comigo e não com você?
- Espera, que dia é hoje?
- Não muda de assunto, José Carlos!
- Não tô mudando de assunto, só me diz que dia é hoje.
- Terça-feira.
- Não da semana, do mês.
- Ah, claro, eu sempre tô errada. Nunca sei responder suas perguntas. Sou uma idiota mesmo.
- Esquece, vou olhar no celular.
- Isso, olha no celular. Você não desgruda do celular mesmo. Não presta atenção em mim.
- Ahhh, bom. Dia 20. Espera aqui só um instantinho.
- Como assim esperar aqui só um instantinho? Meu tempo é ouro, sabia? O que é que tem que hoje é dia 20? Volta aqui, seu... Seu... Insensível... RIDÍCULO... EU ODEIO VOCÊ, ODEIO E... O que é isso? O que você tá fazendo? Eu não vou comer isso, o que é isso? Chocolate? Você quer me ver gorda, né? Pra me trocar por aquelas amigas magrinhas da academia e ashihceivnhumnhumnhum...
- Melhorou?
- Como você... nham... Ousa enfiar esse...glup... Esse chocolate na minha boca? Você é MALUCO? Para com issunhumnhumnhum... Hum... Huuum... Nossa... Nossa, que chocolate é esse?
- Branco com cookies.
- Hum, que delícia! É meu chocolate preferido.
- É, eu sei.
- Ah, que bonitinho! Você sabe, né? Brigada, mor, você é um fofo! Nossa, tirei a roupa pra tomar banho, parei aqui na frente do espelho e perdi a noção do tempo, do que é que a gente tava falando mesmo? Ah, é, Capitu, Dom Casmurro. Belo livro! A gente pode falar sobre isso depois, lindo? Tô meio cansada e precisando de um banho. Dá beijo! Te amo!