Mulherzinha

24 de maio de 2013

"Nossa, que linda"
"..."
"Psiu... Psiu"
"..."
"Smack"
"..."
"Ô lá em casa"
"..."
"Huuuuum"
"..."
"Que delícia, hein?"
"..."
"Ei... Ei... Moça, é sério, olha aqui... Gostosa"
"..."
"Por que essa cara amarrada?"
"..."
"Sabe o que abriria um sorriso nesse rostinho lindo?"
"..."
"Minha mão apertando essa sua bundinha, ou meu pau..."
"Não. Sabe o que abriria um sorriso no meu rostinho lindo?"
"O quê? Fala, eu faço qualquer coisa, gatinha"
"Eu te dar uma surra. E depois você levar um chute de cada mulher que já abordou desse jeito. Isso abriria um sorrisão no meu rostinho lindo"
"Nossa, eu tô aqui te fazendo um elogio e você me vem com toda essa violência? Tá se achando, hein? Você nem é tão gostosa assim. Ei, filha da puta. Volta aqui. Você é sapata, moça? Vem cá que eu corrijo isso também."

Foi aí que eu voltei, dei um jab pra desviar a atenção do cara e, quando ele se afastou pra escapar do soco, levou um chute no saco que nem sabe de onde veio.

Quer dizer, foi aí que eu me imaginei fazendo isso.

Seria a primeira vez, desde meus doze anos (quando comecei a ser abordada na rua por idiotas), que reagiria a esse tipo de coisa.
Se tivesse acontecido, eu poderia dizer que reagi porque ele passou dos limites quando começou a falar da minha bunda, ou antes, na verdade, quando me abordou sem meu consentimento. Eu poderia dizer que reagi porque enquanto existirem homens que tratam as mulheres desse jeito será preciso erguer bandeiras e lutar por respeito. Eu poderia dizer que reagi por mim e por todas as mulheres que conheço. Eu poderia dizer que reagi porque precisei morar em Santiago de Compostela pra perceber que ouvir essas coisas na rua não era normal.
Mas eu simplesmente continuei andando enquanto ele dizia barbaridades cada vez maiores.
Eu não reagi porque ele poderia ter uma arma e minha vida vale bem mais do que isso. Eu não reagi porque não preciso descer a esse nível.
Me controlei enquanto ele me xingava e dizia que era disso que ele gostava, de me ver fugindo feito "mulherzinha".
O mais triste disso tudo é que o machista não percebe que qualquer "mulherzinha" do mundo é mais homem do que ele.

4 pitacos:

rodrigo disse...

Tem gente que ainda vive na idade da pedra e acha que mulher se conquista arrastando pelo cabelo. Se isso é ser homem, eu prefiro ser macaco.

Bruno Lima disse...

Se arriscar em reagir não vale a pena, gente assim cresceu ouvindo outros que é assim que se "canta" uma mulher e acha que está certo sempre.

Mary disse...

Eu teria adorado o chute no saco kkkkk ai que merda de país que vivemos...

Barbárie disse...

Não sabemos respeitar o Outro.